– co-dependência

Imagem

Como curar a co-dependência?

– Os co-dependentes fazem imensos esforços porque crêem que não merecem ser amados. Aprenda a amar a si mesmo. Descubra seu valor criativo.

Alejandro Jodorowsky

RESPOSTA DE ALEJANDRO JODOROWSKY A UMA CODEPENDENTE, EM EL ARTE DE SANAR 22:

Pia Melody em seu livro” A Co-dependência” descreve os cincos sintomas primários da co-dependência:

– 1) Problemas de baixa auto-estima.

– 2) Dificuldade para estabelecer limites ou fronteiras saudáveis. O co-dependente pode não ter nenhum tipo de proteção, ou ao contrário estabelece paredes através da coragem, do silêncio, do medo e das palavras, para não permitir que outras pessoas se aproximem.

– 3) Dificuldade para identificar e expressar sua realidade. O co-dependente pode duvidar de suas próprias percepções, sentimentos, duvidas sobre como atuar, tem duvidas sobre si mesmo.

– 4) Complicação para identificar e satisfazer suas necessidades. Pode ir desde a dependência dos outros para que satisfaçam suas necessidades até ir ao outro extremo e ser o que chamo um anti-dependente, que é a pessoa que não gosta de pedir ajuda e resolve tudo sozinha.

– 5) O último sintoma primário é a dificuldade para experimentar sua realidade de forma moderada. Isso significa que o co-dependente é extremista, é branco ou preto. É difícil ver os pontos médios.

Assinala Pia Melody que os sintomas secundários nos co-dependentes são: a necessidade de controlar, o ressentimento, a dificuldade para estabelecer relações de intimidade, a tendência a desviar a dor através de algum tipo de adição e a desconexão com sua parte espiritual.

No processo de recuperação é importante curar experiências dolorosas, fortalecer a auto estima, modificar crenças e pensamentos irracionais, liberarmos da culpa, enfrentar os medos e fortalecer o “eu” espiritual.

Todo tipo de pseudo-amor é destrutivo e um deles é o da co-dependência.

Quando uma pessoa vive sua vida através dos demais e se acomoda de suas legítimas necessidades, vai além do que exige o amor verdadeiro. Se queima até o ponto de não ficar mais nada dela.

Parece um nobre empenho ajudar a outras pessoas que estão se auto destruindo, como no caso das esposas ou namoradas de alcoólatras ou adictos a droga, ao jogo ou a sexo. Contudo, esquecemos de ajudar aos co-dependentes.

Todo amor que não produz paz, e sim angustia ou culpa, está contaminado de co-dependência. Esse tipo de amor patológico, de obsessão, é sumamente destrutivo. O que não produz paz interior nem crescimento espiritual, não leva a felicidade.

A co-dependência cria amargura, angústia, raiva e culpa irracional. O fruto do amor deve ser a paz e a alegria. Se não é assim, algo anda mal. Somos imagem e templo de Deus. Não devemos abrigar em nosso coração nem angustia nem nenhuma outra emoção daninha.

A co-dependência nasce de uma insalubre fome de amor, talvez provocada por um ambiente familiar em que a pessoa não se sentia amada.  Se pode ter uma fome tão desordenada de amor, que a empeça de deixar uma relação humana negativa.

A dor na co-dependência é maior que o amor que se recebe. Há que tratar de manter uma relação somente até onde devemos e podemos.

Uma das características da pessoa co-dependente é que não confia na outra pessoa que procura influenciar. Isso demonstra a perseguindo, controlando, dizendo o que tem que fazer, etc.

A super proteção, sinal de co-dependência, às vezes nasce da situação de uma mãe que perdeu seu marido. Há mães que usam seus filhos para preencher um vazio.

O co-dependente não sabe quem é, o que sente, quais são suas necessidades; vive como um ser vazio.

O amor verdadeiro promove o crescimento mútuo. O objetivo de todo ser humano nem sempre é agradável para o outro ou ser o que o outro espera dele, e sim ser o reflexo de Deus para os demais: o que Deus o criou para ser.

A co-dependência aparenta ser amor, mas é egoísmo, destruição mútua, medo, controle, relação  condicionada: “Te amo se você mudar”; “Se não faz o que digo, te recrimino, te persigo, me sinto sua vítima. ”Na co-dependência há uma grande quantidade de manipulação. É uma relação  descontrolada: façamos tudo o que seja para que essa pessoa se acomode a mim.

Em momentos de frustração, a co-dependência é abusiva ou de tremenda tolerância ao abuso. A pessoa co-dependente permite tanto, que não reconhece o abuso quando o sofre. Chega a ter uma auto estima tão baixa, que já não se da conta de que estão abusando dela.

O co-dependente necessita dar continuamente para não sofrer culpa, ansiedade, raiva, medo, etc. Necessita dar, sentir-se necessário para ter auto estima. Está dominado por sentimentos doentios e não pela razão.

O amor humano deve se ajustar com a razão. Os co-dependentes se deixam levar somente por seus sentimentos. Sua auto estima depende do comportamento ou reação  dos demais.

O co-dependente deve receber ajuda profissional e espiritual. Deve amar-se ordenadamente a si mesmo, atendendo a suas necessidades básicas.

“A co-dependência é uma condição específica que se caracteriza por uma preocupação e uma dependência excessivas (emocional, social e as vezes física), de uma pessoa, lugar ou objeto. Eventualmente o depender tanto de outra pessoa se converte em uma condição patológica que afeta ao co-dependente em suas relações com todas as demais pessoas.

“O co-dependente tem seu próprio estilo de vida e seu modo de relacionar-se com os outros devido a sua baixa auto estima. Se foca sempre nos demais e não em si mesmo. A pessoa co-dependente não sabe se divertir porque toma a vida demasiado a sério. É difícil chegar a ter intimidade com outras pessoas porque teme ser ferida por elas. Necessita desesperadamente da aprovação dos demais e por tanto buscar agradar todo mundo. Sente ansiedade quando tem que tomar decisões porque teme equivocar-se. Nega seus próprios sentimentos.”

Do livro “Choicemaking” de Sharon Wescheider Cruse e anotações da conferencia de Doris Amaya. (Fonte: FAMILIAE)

Grupo de apoio aos co-dependentes: 

http://www.codabrasil.org/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: