– narcisismo

Imagem

Narciso e Eco

Segundo a mitologia existia uma ninfa bela e graciosa tão jovem quanto Narciso, chamada Eco e que amava o rapaz em vão. A beleza de Narciso era tão incomparável que ele pensava que era semelhante a um deus, comparável à beleza de Dionísio e Apolo. Como resultado disso, Narciso rejeitou a afeição de Eco até que esta, desesperada, definhou, deixando apenas um sussurro débil e melancólico. Para dar uma lição ao rapaz frívolo, a deusa Némesis condenou Narciso a apaixonar-se pelo seu próprio reflexo na lagoa de Eco. Encantado pela sua própria beleza, Narciso deitou-se no banco do rio e definhou, olhando-se na água e se embelezando. As ninfas construíram-lhe uma pira, mas quando foram buscar o corpo, apenas encontraram uma flor no seu lugar: o narciso; e então dai o nome narciso a flor.

Narciso era um belo rapaz, filho do deus do rio Céfiso e da ninfa Liríope. Por acasião de seu nascimento, seus pais consultaram o oráculo Tirésias para saber qual seria o destino do menino. A resposta foi que ele teria uma longa vida, se nunca visse a própria face. Muitas moças e ninfas apaixonaram-se por Narciso, quando ele chegou à idade adulta. Porém, o belo jovem não se interessava por nenhuma delas. A ninfa Eco, uma das mais apaixonadas, não se conformou com a indiferença de Narciso e afastou-se amargurada para um lugar deserto, onde definhou até que somente restaram dela os gemidos. As moças desprezadas pediram aos deuses para vingá-las. Nêmesis apiedou-se delas e induziu Narciso, depois de uma caçada num dia muito quente, a debruçar-se numa fonte para beber água. Descuidando-se de tudo o mais, ele permaneceu imóvel na contemplação ininterrupta de sua face refletida e assim morreu. No próprio Hades ele tentava ver nas águas do Estige as feições pelas quais se apaixonara.

Narcisismo

narcisismo tem o seu nome derivado de Narciso e ambos derivam da palavra Grega narke, “entorpecido” de onde também vem a palavra narcótico. Assim, para os gregos, Narciso simbolizava a vaidade e a insensibilidade, visto que ele era emocionalmente entorpecido às solicitações daqueles que se apaixonaram pela sua beleza. Mas Narciso não simboliza apenas mera negatividade: “o mito de Narciso representa (senão para os gregos ao menos para nós) o drama da individualidade”; “ele mostra, isto sim, a profundidade de um indivíduo que toma consciência de si mesmo” em si mesmo e perante a si mesmo, ou seja, no lugar onde experimenta os seus dramas humanos (Cf.Bibliografia, Spinelli, Miguel, p.99).

Influência

A parábola de Narciso tem sido uma grande fonte de inspiração para os artistas há pelo menos dois mil anos, começando com o poeta romano Ovídio (livro III dasMetamorfoses). Isto foi seguido em séculos mais recentes por outros poetas como (John Keats), e pintores (CaravaggioNicolas PoussinTurnerSalvador Dalí, e Waterhouse). No romance de Stendhal Le Rouge et le Noir (1830), há um narcisista clássico na personagem de Mathilde. Diz o príncipe Korasoff a Julien Sorel, o protagonista, sobre a sua amada:

Narciso e Eco (1629-1630), de Nicolas Poussin.

Ela olha para ela em vez de olhar para ti, e por isso não te conhece.

Durante as duas ou três pequenas explosões de paixão que ela se permitiu a teu favor, ela, por um grande esforço de imaginação, viu em ti o herói dos seus sonhos, e não tu mesmo como realmente és.

Alejandro Jodorowsky:

O traço narcisista nos impede de ver ao outro e portanto, faz difícil a comunicação com tudo o que não é igual a ele.

Exemplo de respostas, de uma pessoa narcisista… desde seus quatro egos:

Ego intelectual: -Não é que não te comprendo, é que você é tonta (o tonto).

Ego emocional: -Não é que você não me ama, é que não ama a ninguém.

Ego libidinal: -Não é que não me desejes, é que você é frígida (ou impotente).

Ego material: -Não é que não quer dividir nada comigo, é que você é uma (ou um) egoísta.

As pessoas com forte traço narcisista na realidade fazem casal com elas mesmas, mesmo que estejam aparentemente unidos a alguém. Esse alguém é Eco, que segundo a mitologia foi a ninfa que se apaixonou por Narciso e que só podia repetir o final de suas frases, era seu eco. A parceira (ou parceiro) de um narcisista é um reflexo, não tem sua “voz própria”. O casal termina quando o narcisista dissolve seu traço ou quando “eco” recupera sua voz.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: